Novo Salão High-Life. (Cidade do Porto)

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

O armazém High-Life, então situado na praça da Batalha (onde posteriormente foi edificado o cinema Batalha) foi em 1908 rebaptizado com o nome de "Novo Salão High-Life" e iniciou a projecção de filmes convertendo-se num cinema. Segundo a bibliografia da época, existiam mais dois cinemas com o nome "High-Life" na Invicta: - Um na Rotunda da Boa Vista (1906) e outro no Jardim da Cordoaria (1908). Podemos ver toda a beleza do edifício na imagem de cima e a sua localização face à Praça da Batalha nas imagens de baixo.
Clique nas imagens para as ampliar

High-Life
Na imagem de baixo, um pormenor da Praça da Batalha em 1905, vendo-se em primeiro plano o edifício dos correios. O High-Life, situava-se ao seu lado, em segundo plano, na esquerda da imagem.
 Praça da Batalha no Porto
Observamos o High-Life na esquerda junto 
ao Palacete dos Guedes, posterior edifício dos correios
Praça da Batalha. O demolido Salão High-Life e o palacete dos Guedes, actual Hotel

Imagens:
- Domingos Alvão
- Phot.ª Guedes
- BPI (Digitalização)

1 comment

O edifício era o da Construtora Cruz & Morais. Tendo o edifício da Construtora sido demolido, Manuel da Silva Neves requer uma vistoria aos terrenos, realizada a 11 de Outubro de 1907 e obtém parecer favorável para a construção da anunciada nova casa de espectáculos (O Comércio do Porto, 12.10.1907, p. 1)

Ler a Memória Descritiva do projecto do Cinematógrafo que Manuel da Silva Neves pretende construir em terreno que lhe pertence na esquina da Praça da Batalha com o Largo de Santo Ildefonso, no “lugar onde estiveram os armazéns da Construtora”. O pedido de licença de construção é de 17 de Outubro de 1907. O edifício dos armazéns já estava demolido. A licença será a 868/1907 (Consultar no GISA-AMP).
A única foto que está correcta é a quinta (o cinema é o barracão ao lado do Águia d'Ouro.

A inauguração do «novo Pavilhão Kinematographico», o Novo Salão High Life, «n’um dos locaes mais centraes da cidade, á praça da Batalha». A nova casa de espectáculos «elegante e luxuosa», seria explorada pelo «Kinematographo Theo Pathé, de Berlim e Pariz», trazido pela mão do empresário Edmond Pascaud, que havia mandado vir expressamente da casa Pathé Fréres, de Paris, as últimas novidades em fotografia animada (O Comércio do Porto, 26.02.1908, pp. 1-2). Abriria finalmente a nova sala a 29 de Fevereiro de 1908 (O Comércio do Porto, 1.03.1908, p. 2).

O novo edifício de pedra e cal tornou-se de imediato um sucesso, passando a ser considerado um cinema de prestígio. Com os seus 1082 lugares, dispostos entre plateia, tribuna e balcão, foi durante muitos anos um dos maiores cinemas do Porto.

13 de novembro de 2017 às 08:09

Enviar um comentário