Mosteiro dos Jerónimos em 1878. (Lisboa)

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Clique nas imagens para as ampliar
Seria em finais do Séc. XIX, mais exactamente em 1833, que por decreto de 28 de Dezembro o Estado seculariza o Mosteiro dos Jerónimos e entrega-o à Real Casa Pia de Lisboa, instituição de acolhimento de órfãos, mendigos, e de desfavorecidos. A Igreja passaria a servir de igreja paroquial da nova freguesia de Belém. Perde-se grande parte do seu valioso recheio.
Vemos nas imagens as obras de remodelação iniciadas em 1860, com o levantamento e desenho da fachada sul do Mosteiro pelo arquitecto Rafael Silva e Castro, copiado em 1898 pelo arquitecto Domingos Parente da Silva. Nestas obras seria demolido o tanque do claustro, os tabiques das galerias e a cozinha do Mosteiro. Entre os anos de 1863 e 1865 reorganizou-se o andar superior do antigo dormitório e desenham-se as janelas. Entre 1867 e 1878 estes cenógrafos vão reformular profundamente o anexo e a fachada da igreja, dando ao monumento o aspecto actual. 
Foi também nestes anos (1867 a 1878) que se procedeu a demolição da galilé e a sala dos reis, foram construídos os torreões do lado nascente do dormitório, a rosácea do coro-alto e substituída a cobertura piramidal da torre sineira por uma cobertura mitrada. Estas obras sofrem um contratempo quando, em 1878, se dá a derrocada do corpo central do dormitório (ver imagem de baixo). A partir 1884, entra em campo o Eng. Raymundo Valladas que em 1886 inicia o restauro do Claustro e da Sala da Capítulo, com a construção da respectiva abóbada. Nessa sala é colocado, em 1888, o túmulo de Alexandre Herculano cuja autoria é de Eduardo Augusto da Silva.
O Mosteiro dos Jerónimos no ano de 1878. Numa imagem difícil de entender actualmente, dado que numa primeira vista, parece mais uma ruína em demolição... mas nem tudo é o que aparenta... tratam-se das obras oitocentistas que foram promovidas pelo Ministério das Obras Públicas por causa da instalação da Casa Pia, que ali estava desde meados da década 30 do séc. XIX.

3 comentários

João Garcia disse...

Não, está mesmo enganado, ou melhor, está parcialmente enganado ... Também são ruínas. Durante essas obras pretendia-se construir uma torre no corpo central no anexo do Mosteiro dos Jerónimos, que chegou mesmo a estar num nível avançado.. entretanto ruiu com infiltrações de água durante uma chuvada e ficou tal como registou esta foto...
Como a obra era cara, ela ficou assim longos anos sem se saber o que fazer até que se decidiu por uma solução mais modesta que é a que conhecemos actualmente...

veja como iam as obras, isto é o melhor registo que encontrei:
http://photos1.blogger.com/photoInclude/hello/190/3239/1024/Digitalizar0001.jpg
(2ª imagem da esquerda)

Espero ter ajudado.

7 de dezembro de 2010 às 12:38
Administrador disse...

Conhecia de facto a pretensão da edificação dessa torre e o seu posterior colapso, embora não tenha tido anteriormente acesso visual a imagens da mesma... No entanto isso em nada invalida o texto, visto a torre estar incluída nas colossais obras oitocentistas que decorreram no Mosteiro. Agradeço de qualquer modo a adicção do seu comentário que complementa o texto base.

9 de dezembro de 2010 às 13:23
Marco da Vinha disse...

Existem gravuras com o aspecto anterior do mosteiro?

22 de fevereiro de 2017 às 22:18

Enviar um comentário