Casino da Praia. (Cascais)

domingo, 21 de julho de 2013

Praia da Ribeira em 1910 na hora dos banhos. No fundo vemos o Casino da Praia.

O Casino da Praia foi edificado em 1873 sobre a muralha que ligava os dois baluartes da Praia da Ribeira (integrados no sistema defensivo da costa, projectado em meados do século XVII), numa área onde anteriormente se encontravam uns armazéns e um terraço pertencente ao Ministério da Guerra. Terá sido José Joaquim de Freitas, juiz de paz na altura e proprietário dos armazéns, que veio a adquirir o terraço e a construir o edifício do casino.
Inicialmente constituído por dois pisos, foi ampliado parcialmente para três no final do século XIX. 
Embora as suas linhas arquitectónicas fossem pouco interessantes, a sua localização privilegiada e uma grande esplanada virada para a baía de Cascais permitiam admirar a beleza da paisagem e a actividade dos banhistas que aqui se dirigiam. Nos dias de competição, era o sítio ideal para assistir confortavelmente ao desfile de embarcações e ao espectáculo da praia coberta de tendas.

O funcionamento do Casino era assegurado pela afluência de visitantes a Cascais, nos meses de veraneio da família real e da corte. A vila ficava então repleta de gente que serpenteava pelas ruas e se concentrava junto à baía, à Cidadela (residência da família real), nos Paços do Concelho, no Hotel Globo (onde hoje se situa o Hotel Baía) e em variadíssimos chalets construídos ao longo da actual Avenida D. Carlos e na ponta oriental, onde se situa a Casa Seixas, hoje edifício da Capitania do Porto de Cascais.

Uma Veraneante em 1911
A par de outros clubes e casinos que existiam na vila, e que rivalizavam entre si pelos melhores programas, o Casino da Praia era considerado um dos mais distintos pontos de reunião da elite social de Cascais. A sua abertura efectuava-se em meados de Agosto  registando elevada frequência até ao mês de Outubro  Funcionava durante a tarde e à noite e, para além dos jogos de roleta e de cartas, promovia quermesses, concertos e bailes, sendo bastante conhecido “pelas suas festas encantadoras”. A sua distinção manifestava-se até na elegância dos menus, apresentados em francês.
Na década de 40 do século XX o edifício foi encerrado e, posteriormente, demolido.

Fonte: 
- CMC
Imagens parciais:
- Autores desconhecidos (recebidas por mail)

0 comments

Publicar um comentário