Urinol da Academia de Bellas Artes. (Porto)

terça-feira, 8 de julho de 2014

A história do antigo convento de Santo António da Cidade, pertença dos frades menores reformados de São Francisco, remonta a 1783, ano em que teve início a sua construção, em terrenos situados em São Lázaro. Pensava-se, à época, que este poderia vir a ser um dos maiores edifícios conventuais da cidade do Porto, mas as obras prolongaram-se por longas décadas e em 1834, ano do decreto que estabelecia a Extinção dos Conventos, não estava ainda concluído. O que não impediu a instalação neste espaço das tropas inglesas, numa época (1831) em que os religiosos haviam já abandonado o convento. Depois de 1834, a história do edifício é paralela à da Biblioteca Municipal do Porto, que acolheu nas suas instalações a partir de 1842. Entretanto, também aqui estiveram sediadas a Escola de Belas Artes e o Museu Municipal.
Academia de Bellas Artes. Emílio Biel & C.
A Biblioteca foi criada por D. Pedro IV em decreto com data de 3 de Julho de 1833, tendo conhecido diversas instalações, antes de adoptar, definitivamente, as do antigo convento de Santo António, doado à Câmara em 1839. A inauguração ocorreu a 4 de Abril de 1842, remontando a esta época o retrato do rei, que ainda hoje se conserva. Aqui se recolheu boa parte das bibliotecas conventuais, constituindo este o fundo inicial da instituição, depois enriquecido pelas aquisições do seu 2º bibliotecário, Alexandre Herculano. 
Do antigo convento resta apenas o edifício, uma vez que a igreja foi demolida. Este, desenvolve-se em função do claustro, de dois andares, que se abre para o pátio através de uma arcaria de volta perfeita, no primeiro, e janelas de frontões curvos, no segundo. Ao centro, um chafariz ostenta a data de 1789. 
Na fachada, que fica voltada para a actual Avenida Rodrigues de Freitas, existiu um urinol público, tal como em muitos outros pontos da cidade. 
Situava-se junto à esquina com a Rua D. João IV e foi retirado há muitos anos do seu local. Tal, tem sido o destino de todos os antiquíssimos urinóis, que existiam na invicta.
Biblioteca do Porto. Phot.ª Guedes
 Clichés da Phot.ª Guedes
Imagens:
- BPI, cliché de Emílio Biel in Repositório Temático da U. P.
- Phot.ª Guedes
Bibliografia:
- Direcção-Geral do Património Cultural

0 comments

Publicar um comentário