O verdadeiro "Pica do 7". O Revisor de Eléctrico.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Revisores. O verdadeiro "Pica do 7" e não só...
Alguns dos nossos estimados leitores, ainda se lembrarão por certo dos antigos Revisores de Eléctricos, troleis e autocarros, vulgarmente denominados pelos "Pica", figura que recentemente serviu de inspiração ao tema "Pica do 7", escrito por Miguel Araújo e cantado por António Zambujo.
Os Revisores, usavam bonitas e robustas bolsas em pele para guardar o dinheiro dos bilhetes vendidos. Eram carteiras que colocavam à tiracolo e que envelheciam com o tempo, ficando mais escuras, marcadas pelas mãos dos que as usavam. Andavam também com uma espécie de alicate, o obliterador, que era o que permitia "picar" o bilhete dos viajantes, conferindo assim a sua validade e autenticidade.
Eléctrico n.º 115 da Linha 7
Bilhete de eléctrico, já obliterado pelo "Pica"
Eléctrico n.º 185 da Linha 7, com destino a S. Mamede
A Linha 7, partia da Praça da Liberdade, no Porto, para S. Mamede, mais exactamente até à Ponte da Pedra, sendo desactivada na década de 70 do séc. XX. Paradoxalmente o video de António Zambujo, foi realizado em Lisboa, o que não diminuiu em nada a sua beleza, nem o valor da música.
O eléctrico chega a S. Mamede no dia 19 de Fevereiro de 1910
Eléctrico da Linha 10, com destino a Rio-Tinto 
De notar a presença dos Revisores (o 'Pica') entre os transeuntes
António Zambujo - Pica Do 7

Imagens:
- Museu do Carro Eléctrico 

3 comentários

Porta Nobre disse...

Notar que a primeira foto, embora bem exempificativa do que se pretende demonstrar, é lisboeta.

Cumprimentos,
A Porta Nobre

10 de novembro de 2015 às 20:34
Administrador disse...

É verdade.
A profissão de "Revisor" no entanto não tinha "Zona" existindo revisores em todas as localidades que possuíssem transportes públicos, que inclui Coimbra, por exemplo.

11 de novembro de 2015 às 11:29
Augusto Tomás disse...

muito bem, excelentes fotos. lembro-me muito bem de andar nos eletricos e de subir e descer com ele em andamento... era uma aventura.

22 de novembro de 2016 às 10:50

Enviar um comentário