«A Máquina». O Comboio da Rua de Gondarém. (Cidade do Porto)

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Máquina a vapor n.º 5
Na Rua de Gondarém circulava o comboio conhecido como "a Máquina", pertencente à Companhia Carris de Ferro do Porto, popularmente chamada de Companhia de Cima, com trajecto com início na Avenida da Boavista, seguindo para a Foz do Douro, Nevogilde e Matosinhos.
Entre 1878 e 1914, a ligação entre a rotunda da Boavista e Matosinhos era feita pela "Máquina", uma pequena locomotiva a vapor que atrelava várias carruagens com passageiros. 
A "Máquina" descia a Avenida da Boavista até à Fonte da Moura, onde inflectia à esquerda, seguindo para a Foz pela actual Rua de Correia de Sá.
A "Máquina" junto à Estação da Boavista
Local de cruzamento da linha do eléctrico, com a linha da "Máquina" circa 1895-1909
A “Máquina” terá chegado a Matosinhos, em meados de 1882. O eléctrico apareceria um pouco mais tarde, em 29 de Outubro de 1897, tirando lugar ao carro “Americano” puxado por cavalos, que fazia esse percurso desde 1873.
A "Máquina" circulava na Rua de Gondarém e a partir daí seguia até ao Forte de S. Francisco Xavier (Castelo do Queijo), inflectia na direcção do oceano Atlântico, cruzando-se com a linha do eléctrico um pouco depois de passar junto do chalet de José Augusto Dias, junto da actual Av. Montevideu.
Máquina a vapor n.º 2 passando na Villa Delphina na Boavista, Porto 
A "Máquina" chegando à Estação de Cadouços
Máquina em Cadouços, c.1907.
Antiga Estação de Cadouços
Depois de deixar a Avenida da Boavista, o comboio seguia pela Ervilha, Rua das Sete Casas, Cadouços, onde existia uma toma-de-água para abastecer a caldeira da locomotiva, entrava no túnel (hoje transitável de automóvel) e continuava pela Rua de Gondarém.
A "Máquina" na Rua do Túnel
Na imagem de baixo, vemos a Rua do Túnel actualmente. Por onde hoje passam automóveis já circulou o comboio...
Imagens:
- Aurélio da Paz dos Reis
- Colecção Centro Português de Fotografia
- Autor desconhecido
- AMP

3 comentários

Jose Sa disse...

Na 3ª fotografia não é a Villa Delphina, que ainda existe na Av da Boavista. A casa é parecida mas não é a mesma.

2 de novembro de 2017 às 14:27
Theo disse...

Tal como diz o José Sá, a Villa Delphina localiza-se na Av. da Boavista. Esse palacete situava-se na foz mas já foi demolido. Esta atribuição indevida deve-se ao facto de ambas terem sido desenhadas pelo mesmo arquitecto, António da Silva.
in " Transformações na Arquitetura Portuense" de Domingos Tavares.

18 de junho de 2019 às 16:57

António da Silva, o mesmo autor do edifício da Real Companhia Vinícola e da casa do seu administrador, em 1895, ambos na av. Meneres em Matosinhos.

11 de julho de 2019 às 16:50

Enviar um comentário