Fonte de N. S. das Virtudes. (Cidade do Porto)

domingo, 11 de julho de 2010

Fonte N. S. das Virtudes
Deu o nome a alameda actualmente conhecida por Passeio das Virtudes. Neste local faziam os judeus os seus enterros, denominando-se por isso o monte por "Jazigo dos Judeus". Com expulsão dos judeus no século XVI o local foi arranjado e transformado em passeio público.
Esta fonte de facto ainda existe e resiste, no mesmo local. A sua História no entanto torna-a merecedora de uma publicação.
A Fonte das Virtudes, também chamada localmente por Chafariz da Virtudes, foi mandada construir pela Câmara Municipal do Porto em 1619, para aproveitamento das águas de várias minas da cidade. Foi edificada segundo desenho de Pantaleão de Seabra e Sousa, Fidalgo da Casa Real e Regedor da cidade. É composta por um alto frontão encimado pelas armas reais. Ao centro um nicho, agora vazio, albergava a imagem de Nossa Senhora que, juntamente com os castelos, representa as armas da cidade.
O estado desta antiga fonte já era precário no início do séc. XX, como podemos constatar num texto de Firmino Pereira,  que refere a situação da mesma por volta do ano de 1912...
(…)A magnifica fonte, para a qual se desce pela rampa pedregosa que principia à entrada da Cordoaria Velha, está completamente abandonada. Quem quer encher o seu cântaro vae á fonte das Taipas. As Virtudes, que viram passar as mais lindas mulheres do século XVII e XVIII, que foram o ponto de reunião dos peraltas e faceiras do velho burgo episcopal, que serviram de recreio a fidalgos, desembargadores e fra­des, é hoje o que era antes de ser convertido em jazigo dos judeus — um local abandonado onde se acoitam va­dios e gatunos... Da fonte monumental, adornada de pirâmides, com as suas carrancas gigantescas, lavradas em pedra, fabrica magnifica que Archimedes y Vitruvio y Eadides paeden inbidiar para sus ingenios, como diz Novaes (op. cit., pag. 40), pouco ou nada existe. Restam os tanques, onde o mulherio do bairro vae lavar os seus trapos e catar os filhos, em dias de sol...”
Fonte das Virtudes. 
Cliché de Emílio Biel para cartão estereoscópico, c. 1898
Fonte das Virtudes nos anos 50

Imagens:
- AMP
- Emílio Biel
- Teófilo Rego

0 comments

Publicar um comentário