Batalhão de Sapadores Bombeiros do Porto.

quinta-feira, 15 de maio de 2014

O acórdão municipal de 17 de Outubro de 1722 determinou a eleição de 100 homens para acudir aos incêndios, dando origem a uma organização de combate aos fogos na cidade do Porto. 
Com a reestruturação efectuada ao abrigo da Provisão de D. João V de 9 de Setembro de 1728, os efectivos duplicam, passando este corpo a designar-se Companhia do Fogo ou da Bomba. A partir de 1832 a Companhia da Bomba toma o nome de Companhia de Incêndios.
Em 1858, o Senado da Câmara cria o Pelouro dos Incêndios, o que vai permitir uma melhor articulação entre o município e os bombeiros.
Aprovado o novo regulamento e o quadro de pessoal que começou a vigorar a partir de Janeiro de 1888, a Companhia de Incêndios volta a mudar de nome para Corpo de Salvação Pública. Em Janeiro de 1941, com a entrada em vigor da nova organização dos serviços da Câmara Municipal do Porto, o Corpo de Salvação Pública evolui para Batalhão de Sapadores Bombeiros, ficando subordinado à Direcção dos Serviços de Urbanização e Obras.
Entre os séculos XVIII e XX os bombeiros municipais dispuseram de estações de apoio que estavam distribuídas pela cidade. A estação principal de comando estava situada no edifício junto aos Paços do Concelho.
Quartel de Bombeiros na Rua Gonçalo Cristóvão, em 1911
Um esplêndido salto em altura, por um Bombeiro Municipal do Porto, nas festas de beneficência realizadas na Parada do Quartel da Rua Gonçalo Cristóvão, no dia 5 de Julho [c. 1909-07]
Em 1904 iniciou-se a construção de um edifício para quartel dos bombeiros municipais, situado na Rua de Gonçalo Cristóvão. 
Homenagem a Guilherme Gomes Fernandes 
Destaque para o denominado "edifício-esqueleto" onde os Bombeiros faziam os seus treinos
A necessidade de instalações modernas levou à transferência para um novo quartel na Rua da Constituição que é inaugurado em 1959, recebendo o nome de Quartel Guilherme Gomes Fernandes.

Fontes:
- Arquivo nacional Torre do Tombo
- AMP

0 comments

Publicar um comentário