Travessa do Carmo. (Porto)

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

 Fachadas das Igrejas do Carmo e das Carmelitas. Emílio Biel
"Igrejas dos Extinctos Carmelitas e do Carmo" (BPI)
Em tempos, frente à fachada da igreja do Carmo (direita da imagem) existiu uma artéria estreita e actualmente praticamente esquecida, denominada Travessa do Carmo. 
Esta viela, há muito desaparecida, ocupava parte do espaço da actual Praça de Parada Leitão. 
Começava, como dissemos, mesmo em frente à Igreja do Carmo e terminava na Cordoaria. 
Actualmente encontramos vestígios da mesma, no casario encostado ao edifício do café Âncora d'Ouro, mais conhecido por café "Piolho".
Segundo Germano Silva, num manuscrito existente na Biblioteca Pública do Porto, a que foi dado o nome de "Diário", pode-se ler: "a travessa do Carmo é uma viela que fica defronte da igreja do Carmo é alumiada por dois lampiões de azeite a sua numeração é de 1 a 14, sendo a casa nº 7 habitada pelo médico Assis [Francisco de Assis e Sousa Vaz]". 
Vista frontal das igrejas do Carmo e Carmelitas em 1930. Aqui existiu a Travessa do Carmo
Reitoria da Universidade do Porto, em 1940 
Praça de Parada Leitão. Cliché de Domingos Alvão
Na direita da imagem, existiu em tempos a Travessa do Carmo
 
Imagens:
- Emílio Biel
- BPI (digitalização)
- Alvão
- Autor desconhecido

0 comments

Enviar um comentário