Quinta das Tílias - Sociedade Protectora dos Animais. (Porto)

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Quinta das Tílias - Entrada
José Maria Nascimento Cordeiro foi o 30.º Presidente da história do Futebol Clube do Porto, entre 1961 e 1965. Mas isso não é o mais relevante nesta publicação.
O que é importante referir aqui, foi que no ano de 1969 este homem concretizou o sonho de muitas gerações, ao doar a Quinta das Tílias, situada no Monte da Costa, à Sociedade Protectora dos Animais, o que permitiu criar um pavilhão clínico e dar abrigo aos animais que vadiavam pelas ruas do Porto. Entre 1970 e 1974, a SPA construiu cem canis e deu protecção a 300 animais.
«A Sociedade Protectora dos Animais, do Porto, que é, entre as congéneres, a mais antiga do país, pois vai a caminho do século -entrou numa fase deveras notável, grandiosa, arrojada mesmo.
Graças a uma generosa dádiva dum grande amigo dos animais -o sr. José Maria do Nascimento Cordeiro - a Sociedade Protectora dos Animais do Porto está de posse de uma bonita quinta, no Monte da Costa.
A configuração da sua orografia, a localização e a riqueza do seu solo – tudo reúne para que o Porto, e num futuro que não virá longe, disponha de mais um motivo turístico que poderá incluir no seu roteiro, e que não deixará de despertar o interesse e a curiosidade do visitante. Há dias, e na companhia de alguns colaboradores do «Mundo Canino», tivemos o prazer de passar uns gratos momentos na Quinta das Tílias. Nós achamos que a designação não corresponde perfeitamente ao que vimos ali.
«Quinta-Jardim», lhe chamamos, tal a profusão e variedade de flores que ali se vê por toda a parte, que embelezam o local e que representam uma fonte de rendimento.
Recebeu-nos o sr. Carlos Faria, secretário geral da Sociedade Protectora dos Animais e director de «0 Zoo», orgão mensal daquele organismo. A maneira como nos recebeu e o entusiasmo com que nos falou de tudo o que ali é já realidade, e não é pouco, ficamos com a impressão que, num futuro que não vem longe, a grande obra em curso, naquela quinta-jardim, - seria um facto. Já conhecida, a «Pensão» e o «Hotel» para cães, pareceu-nos da maior utilidade.
Assim, aqueles que por qualquer motivo tenham que ausentar-se e que não queiram fazer-se acompanhar dos canídeos, podem ir ali deixá-Ios e ficar descansados. Serão bem tratados e não correm o risco de fugir.
- E quanto paga, sr. Faria, o interessado que venha confiar um animal à guarda da Sociedade?
- Na pensão 15$00 por dia, no hotel, 25$00.
- Tem muitos sócios a Sociedade?
- Três mil.
- De quanto é a cota ?
- É variável. O mínimo, um escudo.
- Um escudo ? !
- Sim, um escudo.
- É irrisório! E se calhar ainda se julgam no direito de fazer exigências...
- Alguns, assim pensam.»

In Jornal “O Mundo Canino” - Outubro de 1969 
 Memorial ao benemérito José Maria Nascimento Cordeiro

Imagens:
- Arquivo Municipal do Porto

0 comments

Publicar um comentário