Igreja Matriz de São Mamede de Infesta.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

A actual igreja de São Mamede de Infesta foi iniciada em 27 de Agosto de 1864, tendo sido concluída em 7 de Setembro de 1866.  Trata-se de uma Igreja neoclássica de planta longitudinal e nave única com torre quadrada ao centro da fachada principal. A fachada actual é revestida a azulejos brancos, com decorações e registos azuis também em azulejo. A igreja actual, existe graças a um grande benemérito, natural desta freguesia, Rodrigo Pereira Felício, Conde de S. Mamede, que doou 12 contos de reis (uma fortuna naquela época) para a sua construção.
A actual Igreja Matriz foi projectada pelo arquitecto portuense Pedro de Oliveira, inspirado na Igreja da Trindade, totalmente contra a vontade daquele a subsidiou, que desejava uma igreja com duas torres à imagem da igreja do Senhor de Matosinhos.
Actual igreja de São Mamede de Infesta, ainda rodeada por campos 
Cliché de autor desconhecido
HISTORIAL DA IGREJA MATRIZ DE SÃO MAMEDE DE INFESTA
(extraído do trabalho monográfico sobre de S. Mamede de Infesta e publicado pela Junta de Freguesia)

Segundo se sabe, a mais antiga, seria uma capela em Moalde, conforme texto de doação de D. Unisco Mendes ao Mosteiro da Vacariça – ” da mesma sorte vos damos em Manualde, duas partes da igreja de S. Mamede “- Livro Preto da Sé de Coimbra.
A continuidade desta igreja é-nos dada por várias citações ao longo dos anos: – Venda, em 1 1 3 1, por D. Chamoa Pais e seu marido, ao Bispo do Porto, parte da igreja de S. Mamede.
– Ordenações Afonsinas ( 1258 ) – Igreja de S. Mamede.
– Em 1320, esta igreja figura com o nome de S. Mamede de Thresoires
– Em 1556, a descrição da sua localização no lugar da Igreja.
– Em 1662, na visitação efectuada em 23 de Abril, consta o seguinte: ” que faça de novo a porta principal que cae e reboque a Igreja e fação o Caminho e passadouro da Laranjeira com sua escada de pedra bem comprido
– Na visitação de 1686, foi dito: “os fregueses farão o acrescentamento em termo de dois anos pois me constou que por razão de serem muitos, não cabem na Igreja “.
Em virtude da pequena dimensão desta igreja, foi mandado construir uma nova no Monte de Nª. Sª. da Conceição, pelos Balios de Leça, sendo consagrada em 22 de Janeiro de 1735 e o adro em 15 de Fevereiro de 1737, passando a chamar-se Igreja Nova.
A antiga igreja foi ficando em ruínas, e pensa-se que a Capela de S. Cristovão, na Quinta do Dourado poderá estar associada (pelo menos no mesmo local ) à velha igreja. À Igreja Nova sucedeu a actual igreja Paroquial de S. Mamede de Infesta, construída no mesmo local da anterior.
A igreja de São Mamede de Infesta, vista do Cruzeiro, que se localizava no actual cruzamento da rua Godinho de Faria com a Av. do Conde. BPI
Conforme referimos no início da publicação, existe um episódio peculiar relacionado com a doação e a inauguração desta igreja. Rodrigo Pereira Felício (Conde de São Mamede) aquando da doação dos 12 contos de reis teria dito que queria uma igreja com duas torres, como a do Senhor de Matosinhos. 
No entanto, o arquitecto Pedro de Oliveira construiu a igreja à imagem da Igreja da Trindade, portanto, com uma torre só. Aquando da inauguração, estando tudo preparado, Bispo, povo, autoridades, esperando apenas pelo Conde de S. Mamede, Rodrigo Pereira Felício, que chegava do Brasil. Quando a carruagem do Conde chegou ao cruzeiro (actual cruzamento da rua Godinho de Faria com a Av. do Conde) e viu a sua igreja só com uma torre, deu meia volta e retornou ao Brasil, sem mais palavras.
Vista geral do Largo da Cruz e da Igreja Matriz de São Mamede de Infesta. Cliché in AMP
A 19 de Fevereiro de 1910, o carro eléctrico chegou a S. Mamede, aproximando ainda mais o lugar do Porto, já então uma grande cidade. Cliché in AMP

0 comments

Publicar um comentário