Quiosque de Sebastião Vieira de Magalhães, "O Correligionário". (Porto)

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Porto - Praça de D. Pedro, vendo-se o edifício dos Paços do Concelho
Em primeiro plano, vemos o quiosque do "Correligionário". Cliché da Phot.ª Guedes
Na Praça de D. Pedro (já aqui abordada) também designada por Praça Nova e presentemente por Praça da Liberdade, existiu um quiosque pertencente a um interessante indivíduo.
Chamava-se Sebastião Vieira de Magalhães, usava o típico barrete judaico e barba, procurando ser afável para com todos os seus clientes, a quem se dirigia, com termos semelhantes a este: 
"Aqui está o jornal que o ilustre correligionário* procura".
Desta forma, Sebastião Vieira de Magalhães era "correligionário" de todos os seus clientes, ficando o termo para sempre associado à sua pessoa.
Praça de D. Pedro. O quiosque em primeiro plano
Caricatura do "Correligionário" no seu local de trabalho
Sebastião Vieira de Magalhães, faleceu nos anos 20 do séc. passado e o quiosque, devido às muitas obras que este local sofreria, a partir de 1916, começou por ficar isolado num separador central e mais tarde, inevitavelmente desapareceria.
*Nota:  Correligionário - Aquele que é da mesma religião ou do mesmo partido político que o outro.

0 comments

Enviar um comentário