Fonte do Ribeirinho ou dos Ablativos. (Cidade do Porto)

sábado, 13 de agosto de 2011

Clique nas imagens para as ampliar
A Fonte do Ribeirinho ou dos Ablativos no seu lugar original (imagem de baixo)
As pedras numeradas (imagem de baixo) denunciam a desmontagem da fonte
Esta fonte, esteve antigamente instalada na Rua de Cedofeita do lado Este, entre os nº 672 e 674.  Na opinião de Américo Costa, in «Dicionário Coreográfico de Portugal Continental e Insular» o nome de Fonte do Ribeirinho ou dos Ablativos, deve-se a dois factos. A primeira razão seria porque perto de onde estava colocada, ao lado norte passava um ribeiro que se formava de várias nascentes que se localizavam no Monte Cativo e na Lapa. Segundo Horacio Marcal, esse ribeiro tinha o seguinte percurso: Passava em Salgueiros, atravessava a Quinta Do Melo ou Águas-Férreas (Dos Viscondes de Veiroa), a rua de Cedofeita e a Ponte de Vilar, desaguando no Douro, na Praia de Massarelos.
Em segundo lugar, também foi designada por Fonte dos Ablativos, devido a inscrição nela existente ser composta por vinte e quatro Ablativos. São vários os autores que transcrevem essa inscrição, assim como o seu significado. No entanto a que se transcreve é da autoria de Horacio Marcal. - O antigo sitio do Laranjal - in - O Tripeiro, Marco de 1966, VI serie, ano VI- no qual afirma que a inscrição lhe parece ter algumas palavras que não são latinas e, em sua opinião, não é fácil de traduzir. Contudo, dá-nos a tradução da dita inscrição que e a seguinte: - Com aprazimento muitos e desagrado de outros, foram reunidas as aguas que corriam sujas e desaproveitadas, pelas lajes da rua, e pelas margens do ribeiro, formando charcos imundos, e dificultando a passagem de transeuntes. Assim as águas conduzidas para esta fonte, tornavam o sitio, até então incómodo e sujo, em belo e comodissimo ; e as águas agora limpissimas, desalteraram os suburbanos sequiosos. Foi feita esta obra no reinado da piedosa, feliz e augusta Rainha D. Maria I, por diligências de José Ribeiro Vidal da Gama, dos Conselhos de sua Real Majestade, Chanceler Portuense, servindo de Presidente do Tribunal de Justiça, no ano de 1790.

A Fonte do Ribeirinho ou dos Ablativos, já nos jardins dos SMAS

Fonte parcial:
- SMAS
Imagens:
- Phot.ª Guedes
- Frederick William Flower 
- Alexandre Silva

0 comments

Publicar um comentário