Rua da Reboleira. (Porto)

quinta-feira, 28 de maio de 2015

A designação Rua da Reboleira, data dos séculos XIII-XIV. Esta rua ribeirinha portuense, possui um forte aglomerado de casas medievais, destacando talvez, a do nº. 59 que apresenta uma estrutura de casa-torre com ameias ou merlões, à imagem de uma estrutura defensiva. 
A sua construção consta de um acordo celebrado em Setembro de 1688, entre o mestre pedreiro Manuel Mendes e Pedro Sem, e foi também o local do nascimento de Pedro Sem da Silva (filho) que aqui morou até ao seu casamento.
Largo do Terreiro, Rua da Reboleira e Rua de São Nicolau, vendo-se a Capela da Senhora do Ó. 
Cliché da Phot.ª Guedes
Esta rua foi parcialmente demolida (cortaram-lhe um troço que ia até junto da muralha Fernandina) quando, por volta de 1869-1872, se começou a abrir a Rua Nova da Alfândega. 
Rua da Reboleira, anterior às demolições de 1869-72, efectuadas para abertura da Rua Nova da Alfândega 
José Augusto Vieira in, Minho Pittoresco
Rua da Reboleira nos anos 50 do séc. XX. Cliché de Teófilo Rego
Casas que se encontram no ângulo da Rua do Infante D. Henrique, com a Rua da Reboleira, destacando-se uma pequena oficina de tanoeiro. Cliché da Phot.ª Guedes
 Fonte Parcial:
- AMP

1 comment

Grace Maia disse...

Adorei ler toda a história, estou ansiosa por ir conhecer a Rua da Reboleira, onde nasci em 1944.

28 de maio de 2015 às 21:52

Enviar um comentário