Jardins da Avenida dos Aliados. (Porto)

domingo, 27 de maio de 2012

Avenida dos Aliados foi traçada pela mão do inglês Barry Parker em inícios do século XIX e edificada segundo o arquitecto portuense Marques da Silva, desde logo tomou a designação do boulevard do Porto. Era o maior espaço público urbano projectado no Porto até então. Tratava-se portanto da avenida central da cidade, de gosto cosmopolita, ladeada por fachadas de edifícios ao gosto beaux-artiano, permitindo a abertura de espaço para a renovação da cidade do porto, uma cidade ainda burguesa.
A Avenida dos Aliados é sem dúvida um importante arruamento na freguesia de Santo Ildefonso. Com a Praça da Liberdade ao fundo da mesma e a Praça General Humberto Delgado (mais conhecida por Praça Almeida Garrett, devido presença  de uma estátua da ilustre figura, ícone da Invicta) junto ao edifício da Câmara Municipal, constitui um tecido urbano contínuo.
A imponência do seu conjunto arquitectónico e o seu carácter central fazem dela a "sala de visitas" da cidade, local por excelência onde os portuenses se concentram para celebrarem os momentos especiais.
Todos os edifícios são de bom granito, muitos deles coroados de lanternins, cúpulas e coruchéus. O eixo da avenida é marcado por uma ampla placa central que, até meados de 2006, era ajardinada e agora está completamente calcetada por paralelipípedos de granito.
Sensivelmente a meio da avenida, de um e outro lado, estão as duas bocas da Estação Aliados da Linha D do Metro do Porto. Foi precisamente a construção das saídas da estação que originou a completa reformulação da avenida, obra que foi entregue ao arquitecto Álvaro Siza Vieira. O projecto ficou envolvido por uma enorme contestação por, desvirtuar a tradição histórica e paisagística do local. Apesar de tudo, a obra, que procurava criar uma continuidade entre a Avenida e a Praça de Liberdade,  foi, nas suas linhas gerais, concretizada. Destruíram-se zonas verdes de grande beleza e uma grande parcela de magnífica calçada portuguesa (pedra de basalto).
(Clique nas imagens para as ampliar)
Avenida dos Aliados 
Dois ângulos diferentes
Nas imagens de cima e na de baixo, a Avenida dos Aliados vista da Câmara Municipal
 Avenida dos Aliados vista de vários ângulos
Avenida dos Aliados, em época festiva
Avenida dos Aliados, vista da Praça da Liberdade (em primeiro plano na imagem). Arquivos Alvão.
Imagem de grande dimensão. Clique para ampliar
Vista lateral da C.M. e da avenida, anterior à construção do Palácio dos Correios
Avenida dos Aliados, vista a partir da Praça da Liberdade
 A estátua da «menina nua» e os jardins que a rodeavam
Outro pormenor dos jardins no separador central
 A Câmara Municipal. Nesta época ainda existiam os jardins e a calçada portuguesa no separador central
A Avenida dos Aliados. Vistas aéreas anteriores as intervenções de Álvaro Siza
(Clique nas imagens para as ampliar)
Vista aérea do local
Fontes:
- CMP
- AMP
- BMP

Imagens: 
- BPI (digitalização)
- Alvão
- Autores Desconhecidos

1 comment

Manuel Ramos disse...

Pois pela mão do Siza transformaram uma acolhedora praça de estilo português numa cinzenta e descaracterizada praça que mais parece típica das "praças de armas" das cidades do país vizinho... Devia haver um movimento público para sanar esta cicatriz no coração da cidade.

5 de março de 2017 às 00:05

Enviar um comentário